Somos meros "lulus"; final de ciclo;calendário maia;freqüencias;tsunami novamente;ficção ou realida

quarta-feira, 11 de abril de 2012

TPI:Quando será feita a Justiça?




http://4.bp.blogspot.com/-iMTS_H4jlX4/ToRXEp5p-CI/AAAAAAAAAEw/4B2AmiBQeDM/s1600/sao+miguel.jpg
                     TPI:Quando será feita a Justiça?
                      Após a  Grande Guerra, estabeleceu-se um Tribunal Penal Internacional em Nuremberg para Julgar crimes de guerra.Mas, só os nazistas foram julgados por crimes contra a Humanidade.E os outros?
                      Atualmente, esse mesmo Tribunal(Tribunal Penal Internacional) se ocupou de criminosos menos perigosos e os executou.
                     A pergunta que não quer calar:”por qual razão não se julgaram os torturadores das ditaduras sulamericanas?”.Apenas o caquético Pinochet foi julgado sem poder cumprir pena por não estar em condições físicas e mentais.
                     De novo:”porque o Tribunal Penal Internacional não julga os militares da Ditadura no Brasil?”.É uma atitude dúbia e incompreensível para com pessoas truculentas, assasssinos e torturadores.É pena?Do quê?De nós, com certeza, não é!Não admito que alguém que matou Ghadaffi por acusações nebulosas (na verdade, a Líbia prosperou pelas suas mãos), se recuse a julgar os torturadores do Brasil.Por aqui se ouve uma desculpa esfarrapada “vamos expor suas famílias ao vexame público”.E eu com isso?Por acaso, alguém pensou em nossos pais quando nos acusaram e torturaram?
                      Tribunal Penal Internacional:também faço parte de um tribunal oculto que julga crimes contra a Humanidade.Nele, os assassinados brasileiros merecem todo o nosso respeito, mórmente por serem em sua maioria estudantes universitários.Não éramos soldados bárbaros,  truculentos e insensíveis.Não julgar os militares brasileiros é compactuar com o assassinato de toda uma geração promissora.O seu silêncio e sua negativa serão interpretados como anuência e cumplicidade com a Ditadura no Brasil.
                       Muitas mães e irmãs, perdoaram e oram pela alma dos assassinos dos seus entes queridos.Eu, que quase morri afogada em “caldos”, não posso perdoar.Não apenas pela morte física de nossos irmãos mas, pela morte de nossa liberdade de expressão.
                        Gostaria, mais que nunca, que minhas palavras fossem como uma espada para acabar com meus inimigos, que sempre se protegem sob a saia da Grande Prostituta.Sempre protegidos por ela e pela Besta.
                        De novo e sempre:”quando os nossos assassinos e torturadores sentarão no banco dos réus?”

Nenhum comentário:

Postar um comentário