Somos meros "lulus"; final de ciclo;calendário maia;freqüencias;tsunami novamente;ficção ou realida

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Com que autoridade???


http://4.bp.blogspot.com/-4NErqaQLx1g/TVyXl-aeVuI/AAAAAAAAAAU/3qTXlh5-4Gw/s320/n%25C3%2583%25C2%25B3_na_lingua.jpg
                        Com que autoridade???
                                                 Quando eu era criança, havia a ameaça do bicho-papão.
                                                 Quando a gente crescia, o bicho-papão, transmorfo, virava uma autoridade, um bandido ou uma fofoqueira.
                                                  Aliás, a cobra venenosa fofoqueira de minha cidade era a Dona Nena.Ela destruia qualquer reputação com suas fofocas.E, pasmem, ninguém lhe deu uma surra, ninguém a proibiu de entrar em sua casa, nem na Igreja.Nem a processou.A desgraçada reinava absoluta, fazendo e desfazendo.
                                                  Quando eu crescí, resolvi levantar a ficha da bandida.Ela foi expulsa de casa por ter sido pega em flagrante adultério, sem contar que era assídua frequentadora do quartel, em busca de aventuras baratas.Falei para minha mãe que me disse que só podia ser mentira.E me ameaçou de laço se eu divulgasse para alguém.Mas, como jovens são corajosos, eu encontrei a velha na rua e perguntei-lhe:
                                                - A senhora conhece o Fulano de Tal, seu amante e o Cabo Sicrano de Tal, do Quartel da sua cidade?
 Ela me meteu a bocae me me ameaçou:
                                                -Vou contar para tua mãe!!!
                                                 E eu, tranquilamente, disse:
                                                -Se você fizer isso eu vou gritar para toda a cidade o teu passado.
                                                Deu certo!A criatura sossegou, pouco saia e resolveu tomar juízo.(O que o medo não faz!!!).
                                                  Tanto tempo passado, me pergunto com que autoridade uma vagabunda como ela mantinha todos apavorados com medo de seus fuxicos.Numa cidade cheia de valentões, de mulheres carolas, como ninguém se rebelou?Foi preciso uma adolescente para acabar com a empáfia dela!E nem só dela!Houve um certo D’Artagnan que costumava desacatar as meninas.Quanto mais bonita, mais ele agredia!Um dia, quando o infeliz resolveu baixar no meu terreiro, pagou o maior mico.Me olhou e perguntou:
                                                  -Tu não tens espelho?Que estás fazendo aqui?
                                                  -Eu, fui convidada pessoalmente pelo dono da casa!Já você veio de carona com sua irmã.Aliás, estás muito metido para alguém que vive na aba da irmã e não prestou nem para ter uma família!!!
                                                 -Ora, sua moleca mal-criada!
                                                 -Mal-criado foi você, que não te ensinaram a trabalhar, só a viver às custas dos outros.Que vive de aparência e não de realidade!Te enxerga, peste!                                                        Ele murchou.Ficou roxo, vermelho e grená, de ódio.Mas, a verdade o venceu e ele baixou a crista.E de novo me pergunto, numa cidade cheia devalentões e carolas, com que autoridade aquele velho inútil ofendia as meninas?Certamente, hoje eu acho, seria porque ele deve ter tido uma desilusão com uma menina bonita e começou a odiar todas as meninas.Mas, isso não justifica a sua mal-criação.Ainda mais, vinda de quem deveria dar bom exemplo de pessoa educada e “bem nascida” como se auto-intitulava.
                                                 Algumas pessoas (poucas) que souberam, ficaram me achando uma menina maldosa e sem respeito.Talvez!Mas, respeito só se dá a quem merece e não a quem acha que merece.Se, por alguém ser adulto acha que merece respeito, apesar de ter uma vida torta, de implicar com os outros, eu discordo.Pode ser dono do seu focinho mas, não enfie no meu ninho ou perde o focinho.Respeito é bom e conserva os dentes!
                                                 Então, quando alguém acusa alguém ou reprende eu passo pelo crivo “com que autoridade?”E a resposta brota em torrentes, às vezes boas , outras nem tanto.
                                                O importante é colocar cada um no seu devido lugar para que não aborreça quem está trabalhando estudando e crescendo.Se a pessoa não estava aqui enquanto eu trabalhava, não contribuiu, não venha dar palpite!
      
                                            

Nenhum comentário:

Postar um comentário